MEDIA CENTER

Operação Mar Limpo termina hoje com a recolha de cerca de 90 toneladas de um óleo vegetal no estado sólido nas praias do Algarve

10 JAN 2017 18:01

Terminou hoje, dia 10 de janeiro, a operação de limpeza de cerca de 20 km de areal das praias das ilhas da Armona, Culatra e Deserta, na jurisdição das capitanias de Olhão e de Faro, nas quais, no passado dia 3 de janeiro, apareceu uma substância poluente na linha de costa. A remoção deste resíduo envolveu mais de 500 pessoas.

​​​Os trabalhos de remoção da substância poluente iniciaram-se no dia 5 de janeiro por parte da BIRPOL (Brigada de Intervenção Rápida Poluição) do Departamento Marítimo do Sul, com a colaboração da Marinha e de outras entidades, regionais e locais, nomeadamente, da Proteção Civil (“Canarinhos”, Cruz Vermelha, Bombeiros, etc.), da Agência Portuguesa do Ambiente (APA), do Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF), das Câmaras Municipais e da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Algarve, entre outras entidades e muitos voluntários (escuteiros, moradores e outras pessoas a título individual e coletivo), que prontamente se disponibilizaram a colaborar. 

Foram recolhidas cerca de 90 toneladas de substância poluente, que foi colocada em cerca de 3.000 sacos. Finalizada a limpeza, foi cancelado o 2º grau de prontidão da Autoridade Marítima, de acordo com o Plano Mar Limpo, estabelecido desde o dia seguinte ao aparecimento do poluente.

No dia 3 de janeiro foram recolhidas amostras da substância e enviadas para análise da APA, confirmando-se, no final de tarde do dia 6 de janeiro, que a substância poluente é um óleo vegetal – muito provavelmente óleo de palma – que pertence à categoria Y, correspondente a substâncias líquidas sujeitas a exceções de descarga no âmbito do Anexo II da Convenção Internacional para a Prevenção da Poluição por Navios.​


​​





​​