MEDIA CENTER

Salvamento aquático em praia não vigiada de Vila do Conde

12 JUL 2016 09:07

O Nadador-salvador, em patrulha motorizada no areal entre as praias da Azurara e Árvore, na margem sul do rio Ave, resgatou na manhã do dia 10 de julho, um praticante de canoagem lúdico que, ao naufragar, a 400 metros da linha de água, encontrava-se a ser arrastado pelas fortes correntes e ondulação, tendo entrado em pânico.

​A Capitania do Porto e Comando-local da Polícia Marítima de Vila do Conde recebeu uma comunicação do nadador-salvador, tendo sido de imediato despoletados vários meios da Polícia Marítima, a viatura de vigilância do projeto “Sea watch” operada por militares da Marinha a prestar serviço na Autoridade Marítima durante a época balnear, Instituto de Socorros a Náufragos e Bombeiros Voluntários de Vila do Conde. 

O Nadador-salvador, de 21 anos, que já colaborou em salvamentos anteriores no mesmo local, entrou de imediato no mar enfrentando as condições adversas que se faziam sentir, conseguiu aproximar-se do náufrago e resgatá-lo com o cinto de salvamento para a praia. A vítima, do sexo masculino, 46 anos e natural de Vila do Conde, é praticante regular da modalidade e na altura do acidente tinha o colete devidamente envergado. A vítima e o Nadador-salvador, por apresentarem leves sinais de hipotermia, foram conduzidos, preventivamente, para o Centro Hospitalar local.

De realçar que, desde o início da presente época balnear, já foram resgatadas 9 pessoas neste local, havendo a lamentar uma morte por afogamento. A Autoridade Marítima faz, assim, um acompanhamento constante deste local, dispondo de um meio motorizado (moto 4X4 “Goes”) em patrulha, com Nadador-salvador financiado pela Câmara Municipal de Vila do Conde, durante o período balnear dos meses de julho e agosto.

Esta praia é não vigiada e a sinalética apropriada está colocada nos pontos mais visíveis. No entanto, como é acessível por passadiço e tem uma zona de estacionamento próxima, regista uma grande afluência. A Autoridade Marítima Nacional adverte que esta praia, além de não vigiada, não reúne condições de segurança para banhos por ter um agueiro, fortes correntes e ondulação. Assim, deve ser dada preferência a outras praias mais seguras e vigiadas deste concelho.​