MEDIA CENTER

Resgate de caminhante que caiu numa falésia na Costa Vicentina

8 JUL 2016 09:07

O Capitão do Porto e Comandante-local da Polícia Marítima de Sines, como Comandante de Operações de Socorro (COS), coordenou, na noite de 6 para 7 de julho, uma ação de resgate de um cidadão de nacionalidade alemã que, ao cair de uma falésia nos Castelos Velhos, a sul da praia dos Machados, concelho de Odemira, ficou com ferimentos graves.

​O alerta chegou ao piquete da Polícia Marítima às 21h42, através de um contacto recebido da GNR de São Teotónio, tendo, de imediato, sido enviada para o local uma ronda da Polícia Marítima de Sines.

O homem acidentado, de 21 anos, era um caminhante que se encontrava num trilho da Rota Vicentina, quando decidiu descer uma arriba muito perigosa para verificar se teria existido algum problema com um pescador lúdico que lhe pareceu ter desaparecido na mesma falésia. Tendo sofrido vários ferimentos quando tentava subir no local onde tinha descido, procurou uma outra zona da falésia, de onde terá caído alguns metros, tendo ficado suspenso sem possibilidade de subir ou descer.

Perante dificuldades em fazer o resgate da vítima através dos meios dos bombeiros, o Capitão do Porto e Comandante-local da Polícia Marítima de Sines decidiu solicitar o empenhamento de um helicóptero EH-101 da Força Aérea, que chegou ao local às 00h55. Uma vez avaliadas as condições em que seria feito o resgate, o EH-101 abortou a missão, havendo a possibilidade voltar ao local aos primeiros alvores.

Como se percebeu que a vítima poderia entrar em estado de hipotermia, e atendendo a que este meio só poderia ser novamente empenhado dali a várias horas, decidiu-se proceder à evacuação da vítima, depois de imobilizada, puxando-a para o cimo da falésia pelos bombeiros de Odemira, com o apoio de todas as entidades ali presentes, assim como de vários populares que se encontravam no local.

O resgate da vítima foi concluído às 03h20, tendo sido transportada para o Hospital do Litoral Alentejano.

Na manhã do dia 7 de julho, foram realizadas buscas no local com vista a tentar perceber se existiria ou não outra pessoa acidentada. Com base na informação existente, e perante a falta de evidências a este respeito, o Capitão do Porto e Comandante-local da Polícia Marítima de Sines decidiu dar por terminadas as buscas, o que sucedeu cerca das 13h30.

​​​