MEDIA CENTER

Finalizada remoção de embarcação de pesca “Avô Melro” do portinho da Arrifana

17 JUN 2016 08:06

Sob a coordenação do Capitão do Porto e Comandante-local da Polícia Marítima de Lagos, terminaram ontem, dia 16 de junho os trabalhos de desmantelamento e remoção da embarcação de pesca “Avô Melro”, que se encontrava encalhada na zona rochosa a norte do portinho da arrifana, em Aljezur, desde o passado dia 4 de abril de 2016.

​​As operações de remoção da embarcação foram adaptadas ao longo do tempo, em virtude da degradação da mesma. Inicialmente, as operações estavam previstas serem efetuadas através do seu reboque para o porto de Portimão, no entanto, face ao aumento das fissuras do casco, resultantes da sua exposição a condições de mar mais adversas, concluiu-se que não estavam reunidas as condições de segurança para efetuar as operações de reboque. 

A embarcação foi considerada como perdida e iniciou-se o processo de desmantelamento, consistindo no seu corte em pequenas partes, de forma a facilitar a sua movimentação para o portinho da Arrifana e, posteriormente, para local onde será reciclada.  

Relembra-se que o Capitão do Porto e Comandante-local da Polícia Marítima de Lagos, em articulação com o Centro de Coordenação de Busca e Salvamento Marítimo de Lisboa (MRCC Lisboa), coordenou a operação de salvamento de seis pescadores da embarcação de pesca “Avô Melro”, no passado dia 4 de abril de 2016.

Após o alerta ter sido dado, foram deslocados para o local, dois agentes da Polícia Marítima por terra, a embarcação Diligente da Estação Salva-vidas de Sagres por mar e, paralelamente, foi ativado o helicóptero da Força Aérea Portuguesa. Tendo sido verificado que não havia condições de segurança para o salva-vidas aproximar da embarcação e efetuar o transbordo dos tripulantes, o meio aéreo EH-101 da Força Aérea iniciou as operações de resgate dos seis ocupantes. Todos os tripulantes, sem necessidade de cuidados médicos, foram na altura transportados para a base aérea do Montijo, em virtude das adversas condições meteorologias na área de operações, que não permitiram uma aterragem do helicóptero, em segurança.​