MEDIA CENTER

Polícia Marítima já salvou mais de 4 mil vidas na Grécia

3 MAR 2018 15:03

A Polícia Marítima, integrada na missão POSEIDON na ilha grega de Lesbos, já detetou e retirou a salvo das águas do Mar Egeu mais de 4 mil migrantes desde 2015, quando se iniciou a participação da Polícia Marítima portuguesa nesta missão.

​A Polícia Marítima iniciou as missões na Grécia em 2015, entre outubro e dezembro, período no qual salvou 1756 vidas.

Em 2016, a missão teve a duração de oito meses, entre fevereiro e setembro, tendo sido salvas 1209 vidas neste período.

No ano de 2017 a missão teve a duração de oito meses, entre maio e dezembro, tendo continuado no ano de 2018, em janeiro e fevereiro. Nos oito meses de 2017 foram salvas 998 pessoas e em 2018 já foram salvas 44 pessoas nestes dois meses.

Em quatro anos de missão, na qual a Polícia Marítima esteve presente durante 21 meses, foram salvas 4007 vidas de várias nacionalidades que, neste fluxo migratório irregular e arriscado por via marítima, tentam entrar na Europa numa travessia entre a Costa da Turquia e da Grécia.

A Polícia Marítima encontra-se integrada na operação POSEIDON, sob égide da agência europeia FRONTEX e em apoio à guarda-costeira grega, com o objetivo de controlar e vigiar as fronteiras marítimas gregas e externas da UE, no combate ao crime transfronteiriço, no âmbito das funções de guarda-costeira europeia.

A missão prolonga-se até ao dia 31 de julho de 2018.

 

NO MAR, MAIS ALÉM, POR BEM.