MEDIA CENTER

Museu de História Natural recolhe ossadas de baleia rara que deu à costa na praia de Água de Madeiros - Alcobaça

7 OUT 2017 11:10

No passado dia 2 de outubro a Polícia Marítima do Comando-local da Nazaré foi informada do avistamento de uma baleia morta no mar, ao largo da praia de Água de Madeiros, concelho de Alcobaça. O mamífero, por influência das correntes e da maré, arrojou ao areal daquela praia pouco tempo depois de ter sido avistado.

​Perante este acontecimento foram de imediato contatados os serviços da Câmara Municipal de Alcobaça para efetuarem a remoção do animal, por o mesmo já se encontrar em avançado estado de decomposição, podendo constituir um perigo para a saúde pública, uma vez que a praia de Água de Madeiros é bastante frequentada.

Como o local onde o mamífero deu à costa não tem acesso para viaturas, foi necessário rebocá-lo cerca de 2,5 km para sul, para a praia da Polvoeira, operação que só foi possível realizar durante o dia 5 de outubro, devido às condições do mar. Esta operação foi efetuada com bastante cuidado, por forma a não danificar o corpo do animal, uma vez que o Museu de História Natural mostrou interesse em ficar com as ossadas da baleia, em virtude de se tratar de uma espécie rara.

Durante o dia de ontem, 6 de outubro, com a colaboração da Polícia Marítima, da Câmara Municipal de Alcobaça, da Junta de Freguesia de Pataias e da Proteção Civil, uma equipa do Museu de História Natural esquartejou a baleia para ficar com as ossadas. Os restos do animal seguiram para incineração e o areal da praia ficou sem quaisquer vestígios.

A baleia em causa é do tipo Baleia-anã (Balaenoptera acutorostrata), que é a mais pequena das baleias de barbas (podendo atingir os 10 metros), tendo esta cerca de 8 metros de comprimento.