MEDIA CENTER

Termina 2ª fase de trabalhos de edificação da estrutura da Autoridade Marítimas nas ilhas Selvagens

21 DEZ 2016 10:12

Uma equipa de militares e militarizados da Autoridade Marítima Nacional, apoiados pela Marinha, efetuou trabalhos nas ilhas Selvagens de 21 de outubro a ontem, dia 20 de dezembro, com o objetivo de concluir a segunda fase de edificação da estrutura da Autoridade Marítima.

​Durante dois meses foram efetuadas as seguintes tarefas:

  • Edificação de um hangar que permite o abrigo da embarcação AMN-10-SG "Barracuda", com 8,5m de comprimento e 3m de boca, bem como de uma rampa de acesso ao mesmo;
  • Edificação de sistema de tração para possibilitar o resguardo e colocação no espelho de água da embarcação;
  • Deslocalização das três antenas parabólicas que suportam os sistemas de comunicações da ilha (PT, NOS, EUTELSAT), para um local mais adequado;
  • Requalificação da totalidade da rede elétrica das habitações da ilha;
  • Deslocalização da estação meteorológica do Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) para junto do Farolim da Selvagem Grande;
  • Colocação de boia ondógrafo do Instituto Hidrográfico e instalação junto ao Farolim da Selvagem Grande da antena retransmissora;​
  • Deslocalização dos dois tanques de água salgada (2 toneladas) que "alimentam" o dessalinizador instalado;
  • Colocação de rede de proteção contra eventuais queda/derrocada junto às antenas parabólicas e junto à casa principal da ilha;
  •  Manufatura de estrutura metálica para fixação da tomada de aspiração da bomba de água salgada;
  •  Substituição do quadro elétrico da casa das baterias alimentadas pelo sistema fotovoltaico.
  •  Instalação de um esterilizador bacteriológico no sistema purificador de água;
  •  Instalação de um segundo dessalinizador para reforçar capacidade de produção diária de água doce.

O espírito de missão e empenho da equipa da Autoridade Marítima foi fundamental para o êxito desta segunda fase de trabalhos, em que contaram com o apoio da Marinha, através do NRP D. Carlos e NRP Quanza, com o apoio dos Vigilantes da Natureza do Instituto das Florestas e da Conservação da Natureza (IFCN) e com o apoio sanitário garantido por uma enfermeira da Marinha.

 A estrutura já implementada na primeira fase de trabalhos e, em complemento, as infraestruturas e novas capacidades instauradas nesta segunda fase, estão a permitir que, desde o dia 22 de agosto, a Polícia Marítima esteja de forma permanente nas ilhas Selvagens, garantindo o eficaz exercício da autoridade do Estado, nomeadamente em matéria de vigilância, fiscalização, patrulhamento e exercício de polícia, em especial em matéria de proteção e preservação do meio marinho e segurança da navegação, das pessoas e bens em toda a área marítima.

 


​​


​​​


​​