MEDIA CENTER

Polícia Marítima resgata 3125 emigrantes e refugiados em nove meses de missão na Grécia

4 JUL 2016 17:07

A equipa da Polícia Marítima (PM), que se encontra na Ilha Grega de Lesbos desde o dia 1 de outubro, integrada na missão da agência FRONTEX POSEIDON SEA 2016, a colaborar no controlo de fronteiras da União Europeia, resgatou, em segurança e transportou para terra, 3125 emigrantes e refugiados, dos quais 823 bebés e crianças, que corriam risco de vida, em 9 meses de missão na Grécia.

​De 01 de outubro de 2015 a 30 de junho de 2016, os resultados são os seguintes:

- Missões de busca e salvamento – 79

- Pessoas resgatadas – 3125

- Bebés e crianças resgadas – 823

- Apoio de primeiros-socorros – 16

- Pessoas recuperadas sem vida – 5

- Facilitadores detidos – 5

- Horas de navegação – 1653

- Milhas náuticas efetuadas – 9600

- Embarcações apoiadas – mais de 220

- Apoio a emigrantes e refugiados – mais de 10000

- Alvos controlados pela Viatura de Vigilância Costeira – 1071

Dos 3125 emigrantes e refugiados resgatados pela equipa da PM, 823 eram bebés e crianças e 678 eram mulheres.

A missão da PM, que visa o controlo e vigilância das fronteiras marítimas gregas, tem assumido essencialmente um carácter de busca e salvamento e de ajuda humanitária aos emigrantes e refugiados que diariamente cruzam as águas do mar Egeu, realizando a travessia em a Turquia e a Ilha de Lesbos.

A equipa da PM encontrou, na maioria das vezes, cenários de grande stress, botes e embarcações sobrelotadas, sem condições de navegabilidade e em perigo eminente de naufrágio.

As pessoas resgatadas procuravam desesperadamente chegar à Grécia, mesmo sem quaisquer condições de segurança, muitas delas sem coletes salva-vidas, totalmente molhadas e correndo sérios riscos de entrada em hipotermia.

A equipa da PM distribui aos emigrantes e refugiados, mantas térmicas para combater os efeitos de exposição ao frio, águas, bolachas e chocolates, sempre que necessário. Os casos mais graves são dos bebés e crianças cuja resistência ao frio é muito menor e a quem, a PM dá especial atenção.

A atividade da equipa da PM passou igualmente pela escolta e apoio a mais de 220 embarcações com emigrantes e refugiados a bordo, garantindo que chegavam em segurança a terra, apoiando desta forma mais de 10 mil pessoas.

No âmbito do combate ao crime transfronteiriço destacam-se cinco detenções de facilitadores em 9 meses de missão.

Desde o dia 28 de março que se encontra a operar em Molivos, uma Viatura de Vigilância Costeira (VVC), com o objetivo de reforçar a capacidade operacional da PM, ao garantir a vigilância costeira da área de operações em simultâneo e em coordenação com as embarcações TEJO e ARADE. A VVC efetuou já 569 horas de missão e controlou 1071 alvos.

Este reforço em muito tem contribuído para o sucesso no controlo da fronteira da União Europeia na zona de responsabilidade da PM, constituindo-se como um elemento dissuasor para facilitadores que operam na área.

A equipa é composta por 11 Agentes da PM, 1 Técnico para o apoio e a manutenção das embarcações e 1 Técnico para a manutenção da componente elétrica e eletrónica da VVC.

A PM vai manter o seu apoio à Guarda-costeira Grega, com o objetivo de cooperar no controlo e vigilância das fronteiras marítimas gregas e no combate ao crime transfronteiriço, integrada na missão da agência FRONTEX, até ao dia 30 de setembro de 2016.

NO MAR, MAIS ALÉM, POR BEM.

Vídeo